Princípios de uma interface intuitiva

No início os computadores precisavam de engenheiros e técnicos para serem operados e gerenciados. Mas isso não durou tanto tempo. Alguns anos mais tarde, com o Displaywriter IBM, os computadores passaram a ser usados por pessoas que não eram muito hábeis com a máquina, mas que se precisavam concluir as tarefas do seu dia-a-dia. Nessa época surgiu uma divisão importante os níveis de usuários: os especialistas e os novatos.

new5520

Um design intuitivo não é necessariamente simples. É um design que cultiva padrões comuns a outros projetos. E hoje ele deve ser feito para novatos e experts.

Se você aprende como uma barra de rolagem funciona, você espera que todas as outras funcionem mesmo jeito. Essa experiência é pessoal e torna os próximos sistemas mais intuitivos, mas somente para você.

Uma interface intuitiva é invisível. O bom design é invisível. É como o ar-condicionado, você não percebe que está ali até perceber que algo está realmente errado.

Conhecimento inicial vs Conhecimento adquirido

Lembra da primeira vez que você andou de bicicleta? Você tinha ideia da funcionalidade, de como começar a usar, mas precisava aprender alguns procedimentos pra sair e começar a andar com ela por aí.

Quando usamos alguma coisa pela primeira vez, temos um Conhecimento inicial sobre como funciona, uma soma das nossas experiências com outras coisas parecidas com aquela. Depois de usar com sucesso, somamos ao nosso conhecimento inicial um conhecimento adquirido, que é resultado daquele aprendizado.

Se você precisa ensinar algo para que as pessoas consigam usar seu produto, você está criando uma Lacuna de conhecimento  entre o conhecimento inicial e o conhecimento adquirido que deve ser preenchida de alguma forma. E automaticamente você se responsabiliza por ensinar essas pessoas a realizar essas novas interações que você propõe, seja com treinamento, um manual de instruções ou com um bom design. O que acha melhor?

O design é intuitivo quando não existe lacuna de conhecimento.

Use protótipos e faça teste com seu usuários. Você vai conhecer melhor o conhecimento inicial do seu público e vai entender melhor como oferecer produtos melhores e cada vez mais intuitivos. Também vai entender onde você pode inovar. Quando um sistema é fácil de usar, os usuários conseguem realizar as tarefas sem custo e assim um mau design não vai atrapalhar seus negócios.

Gostou desse texto? Siga-me no Twitter @richardbarros

Um comentário em “Princípios de uma interface intuitiva

  1. Leandro 21/04/2013 18:59

    O design intuitivo é tudo que o povo que desenvolve site para grandes empresas não conseguem fazer. (Se tirar a generalização a frase fica correta, embora o número dos que não sabem é maior do que o número dos que sabem, considerando a minha experiência pessoal.)

    Acho que o intuitivo, muitas vezes, pode e deve esbarrar na objetividade! O ipad é intuitivo porque vem praticamente pronto para o uso, não existem opções, ou você aceita o iPad ou você compra outra coisa.

    Uma frase, acho que budista, pode ajudar a explicar onde quero chegar: “A simplicidade é a sofisticação máxima.”

    Responder

Faça um comentário

Your email address will not be published.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>